Por Rubens de Farias | 09 setembro 2018

Você sabe o que é uma startup? São novas empresas que apostam na inovação em serviços com baixo custo e processos mais ágeis. Em sua maioria, elas têm donos mais jovens que adotam um modelo de negócio e contratação diferente do restante do mercado.


Mesmo com o Brasil em crise, as startups vem crescendo de maneira consistente. Segundo a Associação Brasileira de Startups em 2012 foram abertas 2519 empresas. Já em 2018, o  número está em quase 15 mil, ou seja, um aumento considerável que ajuda a movimentar a economia e a geração de empregos.


Uma das pessoas que transformou a sua carreira através das startups foi Ana Luiza Meigger de 27 anos. A jovem descobriu esse mundo em 2011 e resolveu se arriscar entregando o seu currículo para uma empresa do setor de  tecnologia. Mesmo sem nunca ter ouvido falar nesta modalidade, ela se jogou e achou que poderia ser uma oportunidade em crescer profissionalmente.


No começo, Ana Luiza achou tudo um pouco estranho, já que as startups fogem do formato mais quadrado e hierárquico de uma empresa convencional. Em um processo seletivo que participou, ela teve que participar de dinâmicas em grupo e até mesmo montar um projeto - atividades que enaltecem o comportamento do indivíduo.


Com mais experiência em processos seletivos, a jovem começou a perceber que as startups sempre procuram pessoas que estejam afim de aprender e que sejam engajadas com a proposta. "As startups trazem um lado mais humano para o mercado. Além disso, é um tipo de trabalho muito mais colaborativo. Por isso, muito mais que competências, cursos etc. A pessoa deve ter empatia e gostar de colocar a mão na massa" - destaca Ana.

Ana Luiza e Julia Vianna (Sócias)

Crescimento profissional

Tire da cabeça aquele pensamento que somente em grandes empresas é possível crescer e conseguir novas oportunidades. Grande parte das startups possuem uma política de plano de carreira bem simples: a empresa cresce, você cresce junto. Além disso, a maioria investe horas do trabalhador para estudo e novas aprendizagens.

Ana Luiza é a prova que é possível crescer e aprender. Durante estes 6 anos ela aprendeu lições que a ajudaram a fundar a sua própria startup. Hoje, ela coloca em prática tudo que aprendeu no  mercado e busca também profissionais com vontade de aprender para compor o seu time: "A pessoa tem que ter paciência e ser flexível, só assim ela consegue se destacar e utilizar a startup como um grande impulso para a sua carreira profissional".


Redação
Equipe de jornalistas do jornal “O Amarelinho”.