Por Rubens de Farias | 09 setembro 2018

Entrar no mercado no trabalho não é uma tarefa fácil para os adultos e pessoas com alguns anos de experiência. Agora imagina um jovem que sequer tem algum tipo de experiência e praticamente ainda não teve a oportunidade em ter suas competências desenvolvidas.


Na hora de orientar um jovem a conseguir um primeiro emprego, pais e responsáveis muitas vezes se veem em uma saia justa. Há alguns anos as leis trabalhistas para menores de idade tiveram algumas alterações e por isso, pais e responsáveis ficam sem saber como ajudar.


Separamos 3 passos básicos que ajudarão a orientar o jovem no início da vida profissional. Então, preste atenção e coloque em prática (mesmo neste período de crise que vivemos).

Passo 1 - Consciência sobre o mercado de trabalho

A lei no Brasil proíbe que jovens abaixo dos 16 anos façam algum tipo de trabalho - exceto na condição de aprendiz que permite atividades remuneradas a partir dos 14 anos. Mas, desde cedo todos que estão em volta de um pré-adolescente tem papel fundamental na formação profissional.


Já no período de descoberta os jovens devem ser apresentados ao mercado de trabalho de maneira simples e objetiva. Mostrar que o trabalho é uma maneira de crescimento pessoal e o primeiro passo para conquistar os seus objetivos é a melhor maneira de inseri-lo de maneira consciente e responsável.


Hoje a internet permite a descoberta de mundos até então desconhecidos. Utilizar essa incrível ferramenta para mostrar profissões, pessoas bem sucedidas e carreiras é necessário e ajuda com que o jovem amplie seus horizontes de maneira consciente.


Aqui mesmo no portal do Amarelinho sempre postamos notícias e artigos relacionados a emprego e alternativas, então faça do portal a referência que o jovem precisa para se informar e iniciar com o pé direito.

Passo 2 - Procure empresas que realmente cumpram com a lei

As empresas que buscam jovens menores de idade precisam cumprir uma série de determinação da justiça para que o trabalho seja considerado legal. O candidato e seus responsáveis também possuem uma grande responsabilidade neste processo do primeiro emprego.


Quando uma empresa chamar um jovem para algum processo seletivo é necessário averiguar e ficar atento às leis. Uma delas que muitos não se atentam é que a jornada de trabalho é diferente das demais - não podendo passar das 22h e em hipótese nenhuma deve atrapalhar os estudos.


O não cumprimento da lei pode ter severas punições para quem discumpri e lei, por isso, além do governo todos devem ficar de olho se as regras são cumpridas à risca. Antes de entrar em qualquer processo seletivo pesquise (mesmo pela internet) a reputação do lugar e se o contrato está na forma da lei.

Passo 3 - O jovem deve estar e se sentir preparado

Não é só porque se trata do primeiro emprego significa que o jovem não deve se preparar para uma provável contratação.


Ficar atento ao linguajar, postura e comportamento em um processo seletivo são coisas que devem estar sempre no radar. Por mais que seja o primeiro emprego, algumas características pessoais são levadas em consideração na hora de uma contratação do jovem. Educação, aplicação das palavras corretas e utilização de referências sociais, culturais e políticas são importantíssimas - disciplinas que independem de uma experiência profissional.


Quando o jovem domina assuntos e sabe o que lhe espera, o caminho é que ele fique mais à vontade e se sinta muito mais preparado, criando uma autoconfiança importante antes e durante o seu trabalho. Por isso, estudar, ler e se informar é o caminho mais correto e saudável.


Esperamos que este início de carreira seja sensacional a todos os jovens brasileiros e que o nosso mercado fique cada vez com mais oportunidades.


Redação
Equipe de jornalistas do jornal “O Amarelinho”.