Por Claudinei Nascimento | 03 agosto 2018

Muitos brasileiros desejam ter um negócio próprio e o sonho é o início de tudo, segundo o coach financeiro e empresarial Erick Ribeiro, que ministrou a palestra “Como Começar um Negócio de Sucesso” no dia 31 de julho, na sede do jornal O Amarelinho.

Erik Ribeiro em seu coaching financeiro

De acordo com Ribeiro, este sonho deve vir sempre acompanhado por uma visão que deve ser multiplicada entre as pessoas que ajudarão o empreendedor a realizá-lo. “Ao montar um negócio, é preciso ter em mente aonde se quer chegar, traçar metas consistentes e se planejar para alcançar o objetivo”, explica.

O cumprimento dessas etapas, no entanto, não acontece da noite para o dia. A trajetória que leva ao êxito é carregada de conquistas e alegrias, mas também de desafios e obstáculos. “Em algum momento, a situação poderá levar ao desânimo. Nesta hora, é necessário voltar os olhos para o seu sonho. É ele que dará força para recalcular a rota e seguir em frente”, aconselha.

Por falar em desafios e obstáculos, Ribeiro tem conhecimento de causa. Aos nove anos de idade, ajudando o pai, proprietário de um bar na Cidade de Monte Mor, interior de São Paulo, cansou de ver o estabelecimento ser atingido por enchentes. Além disso, chegou a ser escorraçado por alguns comerciantes quando, nas horas vagas, atuava como engraxate. E palavras simples de seu pai ficaram marcadas para o resto de sua vida. Hoje está ruim, mas amanhã vai ser melhor e vamos conquistar o mundo, dizia ele. "Trouxe isso para minha vida e hoje estou aqui”, disse.

As dificuldades trazem também muitas inquietações e questionamentos e isso não é de todo ruim, segundo o palestrante, pois podem ser um caminho importante para crescimento pessoal e profissional. “É você que escolhe e trabalha todos os dias para dar certo, independentemente das adversidades.”

E como o sucesso de uma empresa passa, necessariamente, por uma boa saúde financeira, Ribeiro orienta o empreendedor a separar as finanças pessoais das empresariais e, principalmente no início, é preciso ter disciplina, controlar gastos e possivelmente até reduzir o padrão de vida para que as finanças estejam equalizadas. “Muitas vezes, antes de obter a recompensa, sacrifícios são necessários”, esclarece. 

Nunca é tarde

E nunca é tarde para empreender. Prova disto é Gabriel Sanches. Aos 60 anos, ele está investindo na área de representação de produtos diversos para dar um novo norte ao seu desenvolvimento pessoal e profissional. Entende que se trata de um grande desafio e, para superá-lo, aposta em experiências anteriores para melhores tomadas de decisão. Durante a palestra, chamou sua atenção um fator que acha importantíssimo para quem quer ser seu próprio patrão: fazer diferente dos outros. “E isso passa, muitas vezes, pela percepção do empreendedor de antever os cenários”, resume.

Já Sonia Vieira Marcos, 35 anos, quer usar todo o conhecimento adquirido durante 15 anos como professora para ajudar pessoas, principalmente jovens, a estarem mais preparadas para disputar as oportunidades de trabalho.
Para tanto, ela, que hoje está desempregada, quer criar um espaço diferenciado para dar reforço escolar a alunos como complemento do ensino regular.  A paixão pelo que faz é o combustível que a motiva a seguir adiante. “Quero tomar novos rumos, sem deixar a minha área de formação”, finaliza.

Claudinei Nascimento
é editor do jornal “O Amarelinho”, formado em Jornalismo e pós-graduado em Comunicação e Marketing pela Faculdade Cásper Líbero.