Por Kazuhiro Kurita | 05 agosto 2018

Quem trabalhou com registro em carteira pelo menos 30 dias no ano-base de 2017, com renda mensal média de até dois salários mínimos e está inscrito no PIS/Pasep há cinco anos tem direito a receber o abono salarial. No entanto, é preciso ainda que tenha seus dados declarados corretamente pelo empregador na RAIS – Relação Anual de Informações Sociais.

A quantia a ser recebida é proporcional ao tempo de registro no ano-base. Assim, o trabalhador que ficou registrado o ano todo tem direito ao valor total, que equivale a um salário mínimo de R$ 954,00. Aquele que ficou apenas um mês empregado receberá somente 1/12 deste valor, ou seja, R$ 80,00, e assim sucessivamente.

Os nascidos no mês de julho já podem retirar seu benefício (veja as datas dos saques no link https://bit.ly/2NXkCXf). O prazo final para todos é 28 de junho de 2019. Depois desta data, o recurso voltará para o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) que, além do abono, custeia também o seguro-desemprego e financia programas de desenvolvimento econômico.

Os trabalhadores da iniciativa privada devem procurar uma agência da Caixa Econômica Federal (CEF) ou lotérica para receber. Os servidores públicos precisam retirar seus rendimentos no Banco do Brasil. Os correntistas dos bancos terão o valor depositado em sua conta corrente. O abono salarial é mantido principalmente pelas contribuições mensais de empresas públicas e privadas e pago todos os anos como complemento de renda.

Kazuhiro Kurita
é editor da Flamboyant Comunicações, formado em Publicidade e Propaganda e Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero.