Por Fernanda Balbino | 05 agosto 2018

O cenário foi constatado pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e mostram que, no mês passado, foram registradas 1.167.531 contratações e 1.168.192 desligamentos.

O levantamento aponta que esta é a primeira queda na criação de empregos com carteira assinada neste ano. Em maio, foram gerados 33.659 empregos formais e, em abril, foi registrada a criação de 115.898 novas vagas.

A recepcionista Ana Luisa de Souza, de 33 anos, é uma das pessoas que perderam o emprego em junho. Agora, ela aguarda por uma abertura de vaga ainda neste mês, na esperança de não utilizar o Seguro Desemprego.

"O que fazer quando o patrão fala que não tem mais condição de manter o funcionário? A crise ainda não foi embora e só nos resta aguardar até que essa hora chegue. Tenho fé que vou garantir uma vaga ainda neste mês e já estou me preparando com cursos de reciclagem", afirmou.

Investir o tempo livre em cursos de capacitação é a arma para turbinar o currículo e aumentar as chances de contratação, segundo os especialistas em recursos humanos.

De janeiro a junho, foram admitidos 392.461 novos trabalhadores. Isto significa um aumento de 1,04% no período.  

Redação
Equipe de jornalistas do jornal “O Amarelinho”.