Por Claudinei Nascimento | 13 maio 2018

As inscrições para ENEM estão abertas até 18 de maio e a expectativa é que, neste ano, haja mais de sete milhões de participantes. Mesmo quem conseguiu a taxa de isenção no valor de R$ 82,00 deve se inscrever por meio do site https://enem.inep.gov.br

O exame será realizado em 4 e 11 de novembro. No primeiro dia, serão 45 questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, 45 de Ciências Humanas e Redação. No segundo, estão previstas 45 de Ciências da Natureza e 45 de Matemática. 

O ENEM foi criado em 1998 e, 20 anos depois, se consolida como uma grande ferramenta de democratização de acesso ao ensino superior, beneficiando estudantes que sonham em conquistar uma bolsa parcial ou integral em instituições privadas, por meio do ProUni, ou púbicas, através do Sistema de Seleção Unificada (SISU).

A conquista desses objetivos, no entanto, passa por um bom desempenho na prova e algumas dicas são importantes, segundo o diretor-executivo do Cursinho da Poli, Gilberto Alvarez. “As questões são avaliadas de acordo com o grau de dificuldade e não têm o mesmo peso. A dica é responder primeiramente as mais fáceis para alcançar uma maior pontuação.”

Quanto à redação, a proposta do texto deve ser lida já no início da prova, para que a memória absorva alguns conceitos sobre o tema.  "Escrevê-la, porém, somente no meio ou no final do exame, deixando um tempo hábil para a escrita e revisão textual", orienta Alvarez.

O educador lembra que o exame avalia competências e as respostas exigem do candidato muita reflexão e intervenção social. “A partir delas, é possível observar como ele entende o mundo em que vive”, diz.
Alvarez reforça ainda o caráter de inclusão do exame, uma vez que o ProUni ou o SISU mostram disposição de acolher o aluno, desde que ele não tenha zerado na Redação. “Porém, deve haver um fortalecimento de políticas de permanência, com subsídios de hospedagem e alimentação, evitando a evasão ou desistência de alunos que conseguem sua vaga, mas não têm condições de se manter no curso”, finaliza.  
Claudinei Nascimento
é editor do jornal “O Amarelinho”, formado em Jornalismo e pós-graduado em Comunicação e Marketing pela Faculdade Cásper Líbero.