Por Redação | 03 maio 2018

Quando estamos desempregados é comum falarmos aquela frase: “Qualquer coisa serve para mim!”. Mesmo consumido pela ansiedade de conseguir um trabalho, temos que ter clareza e colocar a nossa cabeça no lugar. Por isso, quando enviar um currículo (clique aqui para ver como montar um de maneira correta) não foque apenas em sua necessidade. 

Pense conosco: Maria é manicure e lê no jornal O Amarelinho uma vaga disponível para fazer unhas artísticas em um salão. No impulso ela se candidata, é chamada para uma entrevista e acaba passando (sem nenhum teste). No seu primeiro dia de trabalho Maria tem que fazer um desenho nas unhas de uma cliente, só que surpresa: ELA NÃO É ESPECIALIZADA EM UNHAS ARTÍSTICAS. 

Por causa desta situação, Maria pode ser dispensada no primeiro dia, já que ela se candidatou a uma vaga que não estava preparada – mesmo sendo manicure. 

Assim como este exemplo existem milhares de pessoas que muitas vezes pela necessidade acabam se candidatando a vagas que não estão em seu perfil, gerando uma grande frustação no empregado e (acredite) no empregador. 

A primeira coisa a fazer é ler atentamente o que a empresa está pedindo. Se por acaso, você não tiver a grande maioria das especificações, parta para uma outra. Afinal, o que adianta você perder energia em algo que não é para você? 

Qual o critério para se candidatar a uma vaga? 


Às vezes algumas vagas possuem poucas especificações, mas mesmo assim é importante ler tudo até o final. 

Vamos a outro exemplo: quando alguém coloca em um anúncio que precisa de cozinheiro com experiência. O que podemos imaginar? Que o candidato deve saber técnicas de manuseio de alimentos, louças, preparar diversos tipos de pratos e já ter atuado na área. 

Pensando neste exemplo acima, uma pessoa com noções básicas de cozinha com alguma experiência pode se candidatar.

O critério é simples: EU SEI FAZER O QUE ESTÁ SENDO PEDIDO? Se a resposta for sim, mande o seu currículo na mesma hora. 

Não sei tudo o que está sendo pedido na vaga. Mas, posso me candidatar? 

Algumas empresas colocam várias habilidades que gostariam que um candidato tivesse, mas, muitas vezes elas não são obrigatórias. É comum e indicado que os departamentos de recrutamento coloquem nas especificações o que é desejável (não obrigatório) e o que é requisito (o que a pessoa deve ter). Quando você se candidata a uma vaga foque sempre no que é “requisito”, o que você tiver de “desejável” é um ponto a mais que você terá. 

Como já dizemos (e vamos repetir), gaste a sua energia em algo que realmente converta em algo de positivo para você. É claro, que tentar novas áreas, oportunidades e cargos diferentes faz parte, mas antes de mandar o seu currículo veja se realmente a empresa está procurando alguém como você. 

Agora é mandar o seu currículo para a vaga que você se encaixa, torcer os dedos e esperar a tão esperada entrevista! =)
Redação
Equipe de jornalistas do jornal “O Amarelinho”.