Por | 06 outubro 2017

De segunda a sexta-feira, depois das aulas regulares em escolas públicas, 60 jovens da periferia se dedicam com alegria a um programa que pode mudar definitivamente suas vidas. Desde maio deste ano, eles frequentam o Espaço Empreendedor Reciclar, um projeto de desenvolvimento pessoal e profissional para adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco social.

A partir de 2018, as atividades serão dirigidas para 120 alunos. Por isso, o Espaço está com processo de seleção aberto para 60 novos alunos. Os candidatos devem ter até 16 anos, estar matriculados no primeiro ano do ensino médio na rede pública e residir na zona oeste da Capital ou no município de Osasco. As inscrições vão até 15 de outubro e podem ser feitas no site www.reciclar.org.br ou na Avenida Presidente Altino, 973, Jaguaré.

Os selecionados vão seguir os passos de Breno Rodrigues da Silva, Mayara Moreira e Deynison Pereira Oliveira, entre outros já atendidos pelo programa. Na primeira etapa, as Oficinas Criativas de Soluções capacitam para o trabalho por meio de gestão de projetos e desenvolvem habilidades de compreensão sobre o mundo, de formação de opinião e de expressão. Em vez de aulas tradicionais, os adolescentes são provocados a construir o seu conhecimento a partir de múltiplas atividades, sempre ligadas a questões sociais, estimulando o interesse, a apropriação e o desenvolvimento de soluções inovadoras. No segundo ano, o jovem escolhe a área que quer seguir e é encaminhado a um curso técnico em instituição de referência, com tudo pago pelo Reciclar.

Sérgio Loyola
Sérgio Loyola (Foto: Kazuhiro Kurita)
Para Breno, foi uma descoberta marcante. “Descobri que estudar não precisa ser um sacrifício. Os educadores têm uma forma diferente de ensinar. Eles dão liberdade para a gente escolher os temas”, diz ele.

Se por um lado a possibilidade de escolhas torna o programa fascinante, por outro implica em dificuldades para quem nunca teve essa chance. “Já tinha participado de um outro projeto no Reciclar, cheio de regras. Agora, vejo que aprender pode ser divertido. Estou mais responsável e tenho um objetivo na vida”, afirma Mayara Moreira, que quer fazer o curso técnico de enfermagem já de olho na Medicina.
Deynison é oriundo dos tempos das oficinas de reciclagem de papel. Foi inserido no novo projeto e, como Breno, projeta seu futuro na área tecnológica. Ele quer fazer curso técnico em Biotecnologia enquanto Breno tem preferência em ser técnico de informática.

Mary Ellen Nascimento
Mary Ellen Nascimento (Foto: Kazuhiro Kurita)
O Espaço Empreendedor Reciclar é resultado da parceria entre o Instituto Reciclar e o Programa de Apoio a Projetos Sociais (PAPS), da Fundação Salvador Arena. Segundo Sérgio Loyola, gerente de desenvolvimento e promoção social da Fundação, a instituição trabalha para o fortalecimento das parceiras.  “A proposta do Instituto Reciclar despertou nossa atenção pelo caráter inovador e ousado no sentido de adotar uma metodologia de socioaprendizagem ímpar. O projeto ganha ainda mais peso tendo em vista que as ações empreendedoras dos jovens serão aplicadas em favor da comunidade local”, explica.

Para Mary Ellen Nascimento, coordenadora educacional do Instituto Reciclar, um dos objetivos é que o jovem se sinta acolhido e estimulado a superar limites por meio de seu protagonismo. Isso envolve uma série de atividades de inovação, trabalho em rede, visão ampla de mundo e formação humana. “Nossa atuação não termina com a formação técnica, pois ainda resta a entrada no mundo do trabalho. Para isso, o jovem conta com o apoio de um mentor que o ajuda a colocar todo o aprendizado em prática e possa dar continuidade aos seus estudos”, garante. 
Kazuhiro Kurita
é editor da Flamboyant Comunicações, formado em Publicidade e Propaganda e Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero.