Página inicial > Notícias > Lei Orçamentária prevê abertura de 22 mil vagas
Victor Ribeiro, especialista em aprendizagem e aprovação em concursos | Foto: Divulgação
publicado em 12/02/2017
Lei Orçamentária prevê abertura de 22 mil vagas
Cerca de R$ 1,78 bilhão deve ser destinado à contratação de pessoal em órgãos federais
Concurseiros podem se preparar. A Lei Orçamentária Anual (LOA), publicada em janeiro no Diário Oficial da União, prevê a destinação de R$ 1,78 bilhão para a contratação de 22 mil servidores em órgãos federais nos níveis legislativo, judiciário e executivo. 

De acordo com o especialista em aprendizagem e aprovação em concursos públicos Victor Ribeiro, trata-se de um grande alento se comparado ao ano passado. “A lei prevê o dobro do número de profissionais e o orçamento triplicou em relação a 2016”, diz.

Victor Ribeiro
Victor Ribeiro (Foto: Divulgação)
Entre os órgãos mencionados para abertura de vagas estão a Câmara dos Deputados (129), Senado (60), Supremo Tribunal Federal (29), Supremo Tribunal de Justiça (51), Justiça Federal (417), Justiça Eleitoral - Tribunais Regionais Eleitorais (571), Justiça do Trabalho - Tribunais Regionais do Trabalho (563) e Ministério Público da União (680), além de cerca de 20 mil oportunidades vinculadas diretamente ao Executivo. “Essas vagas estão relacionadas ao nível federal. Estados e municípios têm autonomia para realização de seus concursos”, diz o especialista. 

Estratégias

Ribeiro explica que apesar da LOA não ser garantia da efetiva realização de concurso e nem de nomeação do servidor, é um forte indicador para concurseiros se prepararem ainda mais para os certames. Professor do curso de “Estratégias de Aprovação em Concursos Públicos” e ex-auditor doTribunal de Contas da União (TCU), ele aposta em uma tríade para o candidato se dar bem nos exames. O primeiro envolve o planejamento à prova de bala, que abrange conhecimento sobre o conteúdo exigido nos concursos, fontes de aprendizagem e indicadores que trarão segurança na hora do exame. “Cumprido este plano, aumentam muito as chances do candidato ser aprovado”, afirma.

O segundo tópico da tríade o especialista chama de Estado de Ninja e abrange a aquisição de foco e concentração para fazer o que deve ser feito e mostrar resiliência para enfrentar momentos adversos. Por fim, é preciso buscar ferramentas de aprendizagem acelerada para vencer a forte concorrência. “É preciso ler, anotar, compreender e memorizar.”

Para determinados concursos, a dica é buscar editais anteriores e adiantar os estudos, uma vez que o conteúdo é praticamente o mesmo. “Um dos grandes equívocos dos candidatos é esperar a publicação do edital para iniciar os estudos”, finaliza.                    

 
Claudinei Nascimento
é editor do jornal “O Amarelinho”, formado em Jornalismo e pós-graduado em Comunicação e Marketing pela Faculdade Cásper Líbero.
Gostou da matéria? Mande sua opinião ou sugestão para nossa equipe redacao@oamarelinho.com.br