Página inicial > Notícias > Atitudes que prejudicam a imagem profissional
Foto: Shutterstock
publicado em 05/12/2016
Atitudes que prejudicam a imagem profissional
É preciso tomar alguns cuidados para não se cometer erros básicos
Não é difícil o profissional acreditar que está tudo indo bem na construção da sua imagem e reputação, mas algumas de suas atitudes e comportamentos são equivocados e prejudicam a forma como seus parceiros de trabalho e até mesmo seus líderes o enxergam. Para evitar esses erros comuns, alguns cuidados podem ser tomados. 

Segundo a especialista em imagem e reputação Nathana Lacerda, pior do que exibir aspectos negativos da própria imagem é fingir ser quem não é. “Pessoas exageradas mostram insegurança e passam uma imagem negativa para os colegas, que não veem verdade nesse tipo de profissional, principalmente porque o que ele entrega dificilmente corresponde ao seu discurso. Não é só falar, você precisa mostrar sua competência com resultados”, destaca.

Nathana Lacerda
Nathana Lacerda (Foto: Divulgação)
Para Nathana, não aceitar opiniões também é prejudicial. Respeito é a palavra de ordem para o profissional ter uma imagem positiva. “No ambiente corporativo, nem sempre se convive com pessoas que se ama ou com os mesmos pensamentos. E qual é o segredo para manter sua imagem nesse contexto? A resposta é mostrar o devido respeito às opiniões”, afirma. 

Para a especialista, achar que a vida pessoal está totalmente resguardada é outro erro. Mais do que nunca, as empresas estão contratando tanto pelo comportamento quanto por habilidades técnicas. Portanto, não existe mais essa separação entre os valores mostrados pelo profissional no trabalho e fora dele. “As redes sociais são um palco e o que o profissional publica vira verdade. Elas refletem seus valores, suas ideias, sua reação a desafios, seus comportamentos e prioridades”, observa Nathana. 

Pesquisa
Ser crítico demais, mostrar intolerância ou preconceitos, fotos constrangedoras e aqueles desabafos e indiretas mostram o nível de maturidade e controle emocional e viram material de avaliação para as empresas. “Além da internet, aquilo que você conversa na mesa de bar com os colegas de trabalho reflete sua verdadeira opinião e passa também a formar a sua imagem diante da equipe”, adverte a especialista.

Uma boa forma de detectar comportamentos prejudiciais é pedir feedbacks. Segundo Nathana, perguntar o que as pessoas pensam da nossa imagem e atitudes é o melhor direcionador. “Você pode ser direto e perguntar ao líder ou colega quais aspectos precisa trabalhar para melhorar seu visual e comportamento. Não presuma, pois na maior parte das vezes o que pensamos sobre nós é diferente do que os outros pensam”, afirma. 

Também é importante burilar preconceitos para eles não se tornarem empecilhos. Para isso, a especialista alerta para a necessidade de exercitar a empatia, ou seja, de se colocar no lugar do outro e o olhá-lo do ponto de vista de sua história e de suas experiências. “Precisamos aceitar a liberdade do outro e entender que cada um levará a vida a seu modo e que não podemos modificá-lo. Assim como não queremos que nos doutrinem para hábitos, comportamentos e pensamentos que não concordamos, não podemos fazer isso com as outras pessoas”, conclui.

 
Cynthia Grilo
é formada em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), atua na área há 15 anos, com foco no mercado de trabalho e capacitação.
Gostou da matéria? Mande sua opinião ou sugestão para nossa equipe redacao@oamarelinho.com.br